[Tanto tango, tanto dolor] Eu te ensinei a libertar

Cá volto. Ainda procurando palavras para descrever a sensação que é ouvir as tuas canções, agora no auge de suas produções.

Na verdade, nunca esperei nada menos que isso. Desde a primeira vez que escutei Sophia, tinha certeza que não eras só mais um. Não era comum, não era o teu comum, ao menos aos nossos (meus) olhos. E toda aquela pretensão de apenas lançar músicas aleatoriamente, hoje se tornou um projeto de vida. Não só a tua, meu caro, muitos estão contigo. E está estampado no teu rosto, que tudo isso é o que tu sempre quis.

Veja bem, sigas o que está fazendo, afinal, o exército está cada vez maior, e as armas a cada dia mais invencíveis. Mas a peleia continua, ainda tens muitos tiros para disparar.

E eu continuo a esperar, em todo lugar, e toda vez que a tua música tocar me lembrarei de que falar de amor não faz a mal a ninguém, nunca fez.

Só te peço que volte, para ficar.

¡adiós!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s