Fã do mês – Setembro

Você alguma vez já fez alguma amizade com alguém, por gostarem do mesmo artista ou da mesma banda? O nosso “fã do mês” de setembro já! Na verdade, ele acabou virando fã porque já era fã.

Nome: Valdemar Barbosa
Cidade: Fortaleza/CE
Idade: 26 anos

Link: https://www.facebook.com/valdemar.barbosa.7

Entenda melhor a história do Valdemar Barbosa, que tem muita coisa pra contar!

“Fiquei sabendo da existência do Tavares por volta de 2004, 2005, quando, buscando notícias para o site Canal Engenheiros (cujo eu fazia parte), me deparei com o blog “Cinzas de Abril”, que era uma espécie de diário de gravação do primeiro disco de uma banda porto-alegrense. Nesse blog, além de várias citações aos Engenheiros, havia uma notícia em que o líder da banda (Tavares) comemorava a participação de um ex-integrante dos Engenheiros na canção “Até Mais”, que por acaso é o título de uma canção dos Engenheiros do Hawaii gravada quando esse mesmo integrante fazia parte da banda. E também por acaso, essa canção faz parte do disco “Tchau Radar”, uma música que até pouco tempo atrás não existia e que agora já existe e tem como co-autor o grande Rodrigo Tavares.
O tempo passou, a banda Abril lançou o cd “O que te faz feliz?”, e até então eu nunca tinha tido contato com o Tavares. Foi quando através de outro amigo (Joel “Monkey”, super fã da Fresno, até já tocou com o Lucas) recebi uns links de um fotolog, que pertencia ao Tavares. Nesses links havia fotos e referências aos Engenheiros (http://www.fotolog.com.br/tavares/287939/, http://www.fotolog.com.br/tavares/8880994/, http://www.fotolog.com.br/tavares/13036979/).

Foi então que, no distante ano de 2006, resolvi adicionar o Tavares no msn para trocar uma idéia sobre Engenheiros do Hawaii. Como na época ele ainda não era famoso, fui aceito na sua lista de amigos no mesmo instante, e já começamos a conversar e trocar arquivos, principalmente de shows do ano de 1999, pois era aquela a formação favorita do Tavares. Lembro como se fosse hoje quando enviei para ele uma versão de “A violência travestida faz seu trottoir” em um show gravado na cidade de Natal, em 2000. Ele ficou MUITO feliz, foi daí que eu identifiquei um verdadeiro fã dos Engenheiros.
Pouco tempo depois, ele foi convidado para tocar na Fresno. Fomos perdendo o contato aos poucos, mas em 2007 marcamos de nos encontrar para assistirmos à gravação do DVD dos Engenheiros, em São Paulo. Foi a primeira vez que o encontrei pessoalmente e, nesse episódio, emprestei R$ 50,00 pro Tavares comprar uma camiseta da banda, dinheiro esse que nunca recebi de volta, mas foi a partir daí que surgiu uma verdadeira amizade. Estive presente em todos os shows dele aqui em Fortaleza; o primeiro em janeiro de 2010 (lembro da data porque guardo até hoje o jornal com a matéria sobre o show). Em 2009, recebi uma ligação dele perguntando se eu iria ao Ceará Music, disse que achava que não, então fui surpreendido com o convite pra ficar com a banda lá no hotel, com direito a buffet, bebida liberada e credencial vip e assistir aos shows no palco. Foi uma das noites mais incríveis, pois vivenciei um pouco a rotina de um rockstar, vida essa que, PARA MIM, só seria (e foi) legal por uma noite, uma vez na vida.
“Visita” foi a primeira música do “Esteban” que ouvi, apesar de na época ainda não existir o codinome Esteban. Era uma versão demo, gravada em casa, mas que já tinha a narração do gol do Internacional, uma referência à “Anoiteceu em Porto Alegre”. Ele me enviou por msn e pediu minha opinião. Foi naquele momento que ele ganhou um fã incondicional do trabalho solo que ainda nem existia; mas a pretensão estava lá, sempre esteve, desde que ele ouviu a Cidadão Quem pela primeira vez e descobriu que seria capaz, pois todos nós somos. Escrevo esse texto sabendo que meu amigo Rodrigo Tavares é um homem realizado em todos os sentidos, sua maior cria (iAdiós, Esteban!) já percorre o Brasil inteiro e com certeza já passeia pela América do Sul e outros continentes, pois é isso que ele merece. Merece por ser um cara verdadeiro, porque falar de amor como ele fala não é viver de clichê, é transformar as próprias vísceras em canção (sacro sino compunha, minha sina, tua unha, carne, sangue e pus: sinto muito blues). Acho que sou o único fã do Tavares que não deseja que ele seja integrante dos Engenheiros numa possível volta da banda, pois, na minha opinião, ele merece muito mais do que isso; merece que o Esteban seja reconhecido como os Engenheiros, ou até mais; que o “Mundo” não seja o bastante; que ele tenha inspiração para fazer um disco ainda melhor do que o “Várias Variáveis”, pois o adeus é apenas um novo começo.”

Image

Que sortudo ele! Ganhou um amigo e um ídolo. Alguém pra compartilhar uma admiração, pra ver crescer em seu próprio projeto. Pra torcer, acompanhar, mesmo que seja de uma forma um pouco mais distante, mas sem deixar nunca de acreditar em seu potencial.
Ele tem também um vídeo, gravado no último show do Esteban em Fortaleza, onde o Tavares dedica uma música a ele. O áudio tá um pouco ruim, mas ele transcreveu pra gente poder entender melhor.

http://www.youtube.com/watch?v=BafDVWSA5hU

“Eu conheci um cara muito legal daqui, que a gente acabou trocando uma ideia via msn e a gente acabou inclusive indo pra gravação do DVD do Engenheiros do Hawaii lá em São Paulo… e eu fiquei devendo 50 reais pra esse cara durante um ano, mais ou menos… Mas enfim, e daí começamos uma amizade, a gente se fala às vezes, se fala pouco, mas se mantém aquela relação de ‘pô, a gente tava lá no dia que o Engenheiros ia gravar o dvd e tal’… Enfim, a próxima música eu quero dedicar pro meu amigo Valdemar que tá aí, o Valdemas, e ela é mais ou menos assim…”

Image

Além disso, eu fiz também uma pequena entrevista com o Valdemar!

1) Você conheceu o Tavares porque os dois curtiam Engenheiros do Hawaii. O que você acha dessa parceria atual dele com o Humberto, no Trio Grande do Sul?

Acho incrível, pois é a união do fã com o ídolo no mesmo degrau. Além disso, é um projeto que traz junto a gaita/acordeon (aqui no nordeste chamamos de sanfona). Sempre gostei das músicas dos Engenheiros com um tom mais regionalista, como em “Pampa no Walkman”, música que inspirou o título de uma canção do Tavares.

2) Qual a sua música preferida do Esteban?

Isso muda constantemente, com todas as outras bandas que sou fã. Depende do lugar, do clima e principalmente dos relacionamentos. Nesse exato momento é “(Eu sei) Você esqueceu”, versão do disco.

3) O que mais te atrai nas músicas dele?

A verdade cuspida na cara; isso é tão pesado quanto qualquer música do Pantera.

4) Acho que essa é a pergunta que não quer calar: afinal, ele te devolveu os R$ 50,00?

Indiretamente, sim. Mas ainda aceito um iAdiós, Esteban! com dedicatória, apesar de já ter garantido um na pré-venda.

5) Se pudesse falar algo pra ele agora, o que seria?

Com certeza ele tá dormindo agora, não falaria nada. Fé na força do silêncio! hehehe

Image

Muito legal, né? Quer participar também? Mande um e-mail para eestebanbr@hotmail.com com seu nome, idade, cidade e link para as redes sociais! No e-mail você também devem escrever um pequeno textos sobre ser fã do Tavares, como você se tornou fã e o que mais você quiser contar! Já tá valendo para o mês de OUTUBRO!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s